No passado dia 15 de setembro, a GS1 Portugal realizou a cerimónia de entrega de prémios da 10ª edição do Benchmarking Supply Chain. Um evento que contou com o testemunho de representantes da Delta Cafés e da Sonae MC, os primeiros classificados desta edição. Foram também apresentados os principais resultados do estudo.

Cumprimento e qualidade das entregas é o tema com maior margem de melhoria, segundo retalhistas e fornecedores

As entregas são o tema central de 2022, de acordo com os fornecedores e retalhistas que operam no mercado nacional, participantes no estudo de níveis de serviço da GS1 Portugal. Os agentes das cadeias de abastecimento consideram ainda que o bom estado dos produtos no momento da entrega e o cumprimento das datas e prazos acordados são cruciais para o bom nível de serviço.

Estas são as conclusões centrais da 10ª edição do estudo Benchmarking Supply Chain 2022, uma análise anual, conduzida pela GS1 Portugal, que identifica as principais oportunidades de melhoria nas cadeias de abastecimento nacionais. O estudo deste ano integrou 10 retalhistas e 34 fornecedores e contemplou, pela primeira vez, análises a 5 novas categorias: mercearia, lácteos e refrigerados, bebidas, higiene e beleza e congelados.

O relatório de 2022 vincou um contraste nas prioridades identificadas por fornecedores e retalhistas.

Para os retalhistas inquiridos, os temas centrais são:

1 – Cumprimento das entregas;

2 – Comunicação entre os agentes da cadeia de valor;

3 – Alinhamento (minimização de erros nas referências e informação dos produtos);

4 – Gestão administrativa, que envolve a qualidade das caixas e paletes, assim como o acompanhamento da documentação necessária.

Já os fornecedores destacam:

1 – Entrega, de processos de descarga ágeis, tempos de espera aceitáveis e a possibilidade de coordenação horária;

2 – Qualidade das entregas;

3 – Pedidos, unidades de encomendas adequadas e alinhamento das bases de dados;

4 – Receção, o registo e partilha dos incidentes nas notas de entrega.

Comparativamente à edição anterior, o estudo de 2022 registou uma alteração na importância atribuída pelos retalhistas ao acondicionamento da mercadoria, tendo ganho expressão em detrimento dos temas de faturação.

O Benchmarking Supply Chain 2022 evidenciou ainda novas prioridades para o retalho, nomeadamente, ao nível da relevância atribuída aos requisitos de temperatura dos alimentos – que denotam uma diminuição de importância face a 2021 –  e aos erros registados entre quantidades recebidas vs. pedidos – que manifestam um aumento de preponderância, passando de 30º lugar para o 2º lugar da hierarquia.

De forma geral, o top 3 das prioridades dos retalhistas relacionam-se com o pedido, suporte e documentação.

Relativamente a oportunidades em termos de comunicação e informação sobre os produtos, a etiqueta logística GS1-128, específica para paletes, caixas e outras unidades logísticas, foi referida como instrumento de melhoria neste domínio. A análise da GS1 Portugal identifica ainda oportunidades de melhoria significativas nos sistemas de informação, tendo os departamentos responsáveis por estes sistemas merecido as piores classificações nesta edição.

Os resultados do estudo podem ser consultados na íntegra aqui.

Empresas reforçam importância do estudo da GS1 Portugal com vista a uma maior eficiência das cadeias de abastecimento

Como referido, o evento contou coma  entrega de prémios aos primeiros classificados da 10ª edição do Benchmarking Supply Chain.

Primeiros classificados Fornecedores Primeiros classificados Retalhistas
1º lugar: Delta

2º lugar: Gallo

3º lugar: Bacardi-Martini

4º lugar: Mondelez

5º lugar: Super Bock Group

1º lugar: Sonae MC

2º lugar: Pingo Doce

3º lugar: Auchan

Presentes, estiveram os representantes dos primeiros lugares. As duas intervenções destacaram a elevada importância do estudo para a melhoria contínua da cadeia de valor e reforçaram que o estudo é um elemento a integrar nos planos estratégicos das empresas do setor. João Nunes, Diretor Industrial da Delta Cafés referiu que “a participação neste estudo ajuda a centralizar as prioridades e utilizam os resultados para responder melhor aos desafios propostos pelos clientes e pelo setor”.

Da esq. para a dir.: Cátia Gouveia, Gestora de Estudos de Níveis de Serviço | GS1 Portugal; Maria João Amaral, Gestora de Estudos de Níveis de Serviço | GS1 Portugal; Maria João Pissarra, Gestora Order to Invoice Super Bock Group (5º lugar); Arnaldo Oliveira, Logistics Coordinator | Bacardi Martini (3º Lugar); João Nunes, Industrial Director | Delta (1º Lugar); Catarina Lopes, Diretora Comercial Distribuição Moderna | Delta (1º Lugar; Carlos Gonçalves, Logistics Manager | Gallo (2º lugar); Clara Gaspar, Order to Cash Lead | Mondelez (4º lugar); Isabel Nunes, Gestora de Estudos de Níveis de Serviço | GS1 Portugal

Já António Ferreira, Area Supply Chain Management da Sonae MC, indicou que, à semelhança das edições anteriores, o estudo da GS1 Portugal ajudou a marca a perceber “quais as principais oportunidades de melhoria na sua atividade”. O representante da Sonae MC acrescentou ainda que “a empresa incorpora os inputs e os conclusões providenciados pelo estudo na sua ação”, reforçando que a Sonae “já adotou iniciativas com base nesses mesmos resultados”.

Cátia Gouveia, Gestora de Estudos de Níveis de Serviço | GS1 Portugal; Maria João Amaral, Gestora de Estudos de Níveis de Serviço | GS1 Portugal; Nuno Costa, Coordenador Supply Chain de Mercearia e Petfood | Pingo Doce (2º lugar); Nuno José Matos, Logistics Operations Director | Auchan (3º lugar); António Ferreira, Area Manager Supply Chain Management | Sonae MC (1º lugar); Isabel Nunes, Gestora de Estudos de Níveis de Serviço | GS1 Portugal