Healthcare User Group

30.ª Reunião do Healthcare User Group apresenta casos de sucesso em Portugal e Espanha

Well’s é referência na melhoria da eficiência logística e Institut Catalá de la Salut demonstra a eficiência da implementação de Standards GS1 no sistema de saúde

A GS1 Portugal promoveu, no dia 22 de junho, em suporte digital, a 30.ª Reunião do Healthcare User Group (HUG), que contou com a participação de representantes de várias entidades no setor da saúde, ao longo de toda a cadeia de distribuição.

Representantes da indústria farmacêutica, de grupos de farmácias, de unidades hospitalares, de associações setoriais e profissionais de saúde juntaram-se para debater temas relevantes para o setor, em particular, nesta 30.ª reunião, a “Legislação, Comunicação e a aplicação dos Standards GS1”.

Como convidado especial, a sessão contou com a intervenção de Manel Martinez, da GS1 Espanha, que apresentou o caso de sucesso do país vizinho no que à implementação dos Standards GS1 diz respeito.

“Em Espanha, 64% de todos os gastos em bens e serviços nos centros de saúde correspondem a questões de logística e, por isso, identificamos aqui uma oportunidade de reduzir esses mesmos custos e aumentar a eficiência”, afirmou Manel Martinez.

Como caso de sucesso da materialização desta ideia, o responsável da GS1 Espanha deu o exemplo do Institut Català de La Salut (ICS), que adotou um sistema de aquisição de bens e serviços de forma central. “A partir de 2018, o catálogo de produtos e serviços a contratar passou a ser centralizado, acessível a todos os hospitais, permitindo a utilização de um único operador logístico. Este novo sistema permitiu reduzir custos logísticos e de gestão de stocks, garantindo um maior controlo quanto a disponibilidade e eminência de rutura, agilizando a articulação com os fornecedores”, explicou.

Utilizando standards GS1 como a Global Data Synchronisation Network (GDSN), foi possível garantir a segurança da informação, melhorar a eficiência do processo e evitar duplicação de dados. “Acima de tudo, há um grande benefício económico e uma maior segurança para o paciente”, concluiu Manel Martinez.

O HUG registou também a apresentação dos resultados iniciais do projeto de Fiabilidade de Leitura em Armazém (FLA) da Well’s. O plano implementado na insígnia da SONAE MC especializada em saúde, bem-estar e ótica, tem como objetivo aumentar a eficiência da conferência das entregas na plataforma de receção, uniformizar as codificações aplicadas e lançar bases para a digitalização da cadeia de abastecimento.

Com base nos resultados iniciais apresentados, foi possível aferir que, entre os mais de 200 fornecedores avaliados, 68% já utilizam a simbologia GS1. No entanto, vários fornecedores utilizam mais do que um tipo de simbologia nas suas entregas (entre caixas soltas, paletes multiproduto e paletes monoproduto), sendo evidente a falta de coerência nas próprias entregas, comprometendo a eficiência.

Após 22 semanas de projecto e fazendo uma primeira análise aos resultados obtidos, a GS1 Portugal deu início a uma nova etapa de implementação do projeto: apoio aos fornecedores e formação da equipa comercial da Well’s para garantir a implementação das soluções propostas.

Durante a reunião do HUG, a GS1 Portugal apresentou também outros projetos em desenvolvimento pela organização, que atestam a forte aposta no setor da saúde. Exemplos disso são a eNewsletter bimestral – Comunicar Saúde – lançada no dia 31 de maio para mais de 1500 contactos e o novo Espaço Saúde, em construção no Centro de Inovação e Competitividade da organização.

Estas e outras iniciativas terão contribuído para a classificação da GS1 Portugal como “organização inovadora”, de acordo com o programa Innovation Scoring, um projeto da COTEC Portugal do qual a GS1 Portugal é parceira, que visa perceber e comparar as práticas de inovação implementadas pelas organizações. Conforme anunciado neste HUG, numa análise da monitorização dos objetivos e depois de ter arrancado o projeto em 2017 com 273 pontos, a expetativa seria de que a GS1 Portugal chegasse a 2021 com 400 pontos. A organização não só alcançou o objetivo como o superou (430 pontos), garantindo a referida classificação.

Nesta reunião foi também atualizada informação e feito o ponto de situação no que diz respeito ao Regulamento Europeu dos Dispositivos Médicos e à atualização da Política de UDI – Unique Device Identifiers da GS1, ao abrigo da United States FDA – Food & Drug Administration UDI Policy.

No final da sessão, houve ainda tempo para apresentar o programa provisório da edição deste ano do Seminário de Saúde da GS1 Portugal, que terá lugar no próximo dia 15 de julho. O evento será focado nas transformações que a crise pandémica trouxe ao setor da saúde, nomeadamente, no que diz respeito à distribuição nacional e global da vacina COVID-19 e ao combate à contrafação de vacinas, medicamentos e dispositivos médicos.