Adotar Standards GS1 na cadeia de abastecimento da vacina Covid-19 é urgente

  • É urgente implementar standards comuns em toda a cadeia de valor da saúde
  • Autoridades internacionais de saúde pública defendem a necessidade de rastrear todas as doses da vacina

Um novo estudo da Deloitte aponta para a necessidade urgente da adoção universal de standards globais como uma solução necessária para permitir uma distribuição rápida, eficiente e segura da vacina para a Covid-19. Membros de autoridades internacionais de saúde pública, como Tom Woods, Chairman do Comité para a Garantia de Qualidade de Produtos de Saúde do Banco Mundial, pediram a adoção de standards comuns, incluindo a implementação de um código de barras, “o elemento mais importante e pouco discutido na prevenção de falhas na distribuição da vacina e na garantia da rastreabilidade e segurança do paciente na campanha de vacinação COVID-19”.

 

Adotar os Standards GS1 adiciona um elemento de confiança a todos os níveis da cadeia de abastecimento no setor da Saúde – uma confiança que, em última análise, se estende aos próprios pacientes.

 

Securing Trust in the Global COVID-19 Supply Chain”, como se designa o estudo, revela que, além da colaboração da indústria e de uma comunicação transparente, “adotar os Standards GS1 adiciona um elemento de confiança a todos os níveis da cadeia de abastecimento no setor da Saúde – uma confiança que, em última análise, se estende aos próprios pacientes”. De recordar que os Standards GS1 são únicos, inequívocos e globais e permitem que os fabricantes de produtos farmacêuticos, empresas de distribuição e fornecedores, do setor, sigam protocolos e medidas de segurança essenciais para garantir a confiança e a segurança dos pacientes, tanto da própria vacina, como na capacidade de garantir a respetiva administração em segurança.

A utilização dos códigos GS1, em específico do código DataMatrix, amplamente utilizado no setor da Saúde, como é exemplo a identificação de vacinas, torna-se imprescindível para garantir a transparência ao longo de todo o processo – da produção à administração.


 

 

O código DataMatrix é o Standard GS1 que dá resposta aos requisitos legais de identificação de medicamento. Este identificador permite, através de Identificadores de Aplicação (IA), incluir:

  • Código Único do Produto IA(01)
  • Número de série  IA(21)
  • Número de Lote  IA(10)
  • Data de Validade  IA(17)
  • Número de Autorização de Introdução no Mercado (AIM) atribuído pelo INFARMED, I.P.  IA(714), de utilização exclusiva para produtos que se destinam a circular no mercado português.

As vantagens da utilização dos Standards GS1 são inúmeras, podendo destacar-se para o setor da Saúde:

  • Melhor coordenação da cadeia de abastecimento;
  • Diminuir o risco de desvio da vacina dos canais regulados;
  • Cumprir a data de validade;
  • Evitar distribuição de vacinas contrafeitas.

Apesar da adoção de Standards GS1 ser cada vez mais transversal, a verdade é que ainda não é uma prática universal. Nesse sentido, o estudo da Deloitte considera as informações de identificação da vacina, como o ID do produto, número de lote e data de validade como “essenciais para os profissionais de saúde administrarem as vacinas com confiança”, realçando que “a OMS recomenda que todas as vacinas sejam identificadas com esses dados através de código de barras”. Entidades como a GAVI e a UNICEF exigiram ainda o uso de Standards GS1 nas embalagens secundárias.

 

Localmente, a GS1 Portugal, enquanto entidade parceira de confiança das empresas, está disponível para prestar o apoio que as autoridades competentes considerarem necessário.

 

João de Castro Guimarães, Diretor Executivo da GS1 Portugal, refere que “o mundo enfrenta um enorme desafio na distribuição e administração desta vacina. Os standards globais de identificação têm um papel crucial a desempenhar, contribuindo para promover a confiança pela rastreabilidade, aliviar a pressão sobre o setor da Saúde e reduzir a margem de erro. A GS1, a nível global, está empenhada em contribuir para o sucesso desta operação de extrema importância. Localmente, a GS1 Portugal, enquanto entidade parceira de confiança das empresas, está disponível para prestar o apoio que as autoridades competentes considerarem necessário”.

Atualmente, mais de 70 países têm implementada legislação no setor da Saúde ou definidos requisitos entre parceiros comerciais assentes no recurso a Standards GS1. Esses países contam com os códigos de barras bidimensionais GS1 DataMatrix, que podem agora ser utilizados para codificar as informações de identificação da vacina e contribuir para reduzir erros, permitindo a sua rastreabilidade.

Como alguns países têm tido dificuldades em relacionar as vacinas administradas com os seus pacientes, resultando por vezes na administração de mais ou menos doses do que as recomendadas pelo fabricante, este relatório da Deloitte reforça que “é importante identificar e rotular as vacinas, de forma a precisar quando e qual a dosagem de vacina administrada ao paciente”. Nesse sentido, a GS1 garante que a identificação global exclusiva e o código de barras podem dar suporte a essa tarefa crucial.

Para mais informações sobre este tema, por favor consulte o seguinte LINK.