Identificação de procedimentos garante rastreabilidade do setor da saúde no Território da Capital Australiana (ACT)

Conforme reportou, estes 19 distritos recorreram a standards GS1 para a identificação de todos os procedimentos e garantia de rastreabilidade do setor, permitindo identificar quem é alvo de cuidados, que cuidados são prestados, com que procedimentos, como, por que profissionais. Em ambiente hospitalar, foram identificados doentes e prestadores de cuidados de saúde com recurso a codificação GSRN – Global Service Relation Number, standard que permite identificar indivíduos prestadores de serviços ou alvo dessa prestação de serviços,  e SRIN – Service Relation Instance Number, o standard que permite identificar ações específicas num determinado período temporal, muito utilizado, por exemplo, para a identificação de sessões de administração de tratamentos, frequentemente pelo mesmo profissional de saúde, ao mesmo doente. Esta iniciativa liderada pelo ACT Health Directorate permitiu também garantir a rastreabilidade dos produtos administrados, com recurso a GTIN – Global Trade Item Number, bem como a respetiva localização, com recurso a GLN – Global Location Number. As amostras ou colheitas passaram a ser identificadas com recurso a standards, dispensando recursos humanos dessa identificação.

No âmbito da implementação do projeto, registou-se um desenvolvimento específico, muito relevante, ainda durante o contexto pandémico: o recurso a standards em todos os níveis de utilização possíveis, até à unidade de utilização, o que resultou num elevado nível de segurança, pela associação direta do doente à dose administrada. Este sistema de identificação muito rigoroso foi adotado nos centros de vacinação. Foi ainda desenvolvido um Registo de Saúde Digital, com informação centralizada, com inegável utilidade e benefícios em termos de rastreabilidade e gestão de dados. Outros distritos abordaram o ACT Health Directorate com vista à implementação de soluções similares, interoperáveis.