Maioria dos portugueses pensa que evitar eventos ou espaços com muita gente é um comportamento que veio para ficar

A pandemia provocada pelo Coronavírus tem condicionado, em muito, o dia a dia dos portugueses. As notícias e as actualizações de informação sucedem-se ao minuto, comunicados e decisões vão sendo tomadas e os números não param de aumentar de forma vertiginosa, aqui e por quase todo o mundo. O Barómetro de Opinião COVID-19 da Marktest tem por objectivo ir acompanhando, ao longo das próximas semanas, as opiniões dos portugueses, os seus comportamentos e as suas percepções face a este momento que o país e o mundo atravessam.

Fonte: Marktest

A última sondagem deste Barómetro, realizada um mês após o fim do estado de emergência, procurou identificar que hábitos ou comportamentos adquiridos no período de pandemia vieram para ficar por muito mais tempo. Os resultados mostram que, além da lavagem frequente das mãos, vitar eventos/espaços com muita gente é outro dos comportamentos que veio para ficar, indicado por 52.7% dos portugueses.

Evitar eventos/espaços com muita gente é um comportamento que ganha sobretudo expressão junto de três targets: a população adulta portuguesa, com mais de 55 anos, a população portuguesa masculina e os residentes na região do Litoral Norte .

Ao nível da variável classe social, o perfil daqueles que identificam que se deverá Evitar eventos/espaços com muita gente é muito semelhante ao perfil do universo em estudo.

 

A presente sondagem foi realizada pela Marktest, através de CAWI (Computer Assisted Web Intereview), junto de uma amostra de 504 inquiridos, com mais de 18 anos, residentes em Portugal Continental. Os resultados do estudo foram ponderados e extrapolados para o universo em estudo ( 8.250.000).
A recolha da informação decorreu entre os dias 4 e 5 de junho. A seleção dos entrevistados, fez-se com recurso a um Access Panel da Marktest. A partir deste Access Panel, procedemos a extrações aleatórias de potenciais entrevistados, de acordo com as regras definidas ao nível da seleção amostral (método de quotas pelas varíaveis género, idade e região Marktest). Para garantir a segurança da comunicação online, a Marktest utiliza um protocolo de segurança que permite salvaguardar a leitura e interceção, por terceiros, dos dados transmitidos no momento do preenchimento do inquérito.
Este Access Panel da Marktest encontra-se devidamente registado na C.N.P.D. e a Marktest assegura um controlo rigoroso de qualidade e veracidade da informação registada pelos internautas nele inscritos, bem como na gestão da selecção dos mesmos para as entrevistas que realizamos. A Marktest cumpre com a legislação em vigor, nomeadamente com o Regulamento Geral de Proteção de Dados (RGPD) assim como cumprimos integralmente com “28 Questions to Help Buyers of Online Samples” da ESOMAR. Para mais informações, consulte a nossa Politica de Privacidade.
A análise destes resultados é da exclusiva responsabilidade da Marktest. Os Índices apresentados decorrem de avaliações feitas pelos entrevistados em perguntas com recurso a escalas de avaliações de 0, nota mínima, e 10, nota máxima, sendo o valor médio obtido convertido para um índice de 0 a 100 pontos. Consideram-se avaliações positivas, todas as respostas cuja nota atribuída numa escala de 0 a 10 se situem entre 6 e 10, e as avaliações negativas entre 0 e 4.