Serviço logístico, gestão de stocks, entregas e relação comercial evoluem favoravelmente, segundo estudo da GS1 Portugal

O impacto da codificação correta e o aumento da eficiência logística na colaboração, as alterações registadas na relação das farmácias com os laboratórios e armazenista, a importância dos grupos de farmácias e o enfoque na inovação enquanto condição de melhoria contínua são algumas das conclusões da 7.ª edição do Benchmarking Saúde, apresentadas no dia 22 de novembro, pela GS1 Portugal, entidade responsável pela implementação de standards para a promoção de maior eficiência ao longo de todas as cadeias de valor e que lidera este estudo.

Apresentado no âmbito de um evento híbrido promovido pela GS1 Portugal, que integrou também um Painel Debate sobre “Níveis de Serviço: Do laboratório à farmácia”, este estudo bidirecional que analisa os pontos fortes de eficiência colaborativa e oportunidades de melhoria entre parceiros do setor da saúde permite concluir que as farmácias, na sua relação com os laboratórios, destacam, como desafios para o futuro, a eficiência da gestão das devoluções e a capacidade de adaptação das ações a cada farmácia. No entanto, afirmam que o produto está em bom estado quando é recebido e que existe uma boa relação comercial, pelo que, em média, a avaliação dos laboratórios face a 2021 melhorou. No caso da relação com os armazenistas, um dos pontos positivos é a facilidade no processamento de pedidos, mas a gestão das devoluções é um processo que ainda pode ser melhorado.

A 7.ª edição do Benchmarking Saúde permitiu ainda concluir que as parafarmácias de retalho registam oportunidades de melhoria na codificação das encomendas e, em particular relativamente aos laboratórios, no alinhamento dos ficheiros mestre. O perfil dos interlocutores comerciais e a proatividade para propor ações de melhoria na gestão dos pontos de venda aumentaram a sua relevância em comparação com os resultados registados em 2021 .

Segundo Cátia Gouveia, Gestora de Estudos de Níveis de Serviço da GS1 Portugal, “este projeto dá uma noção clara do caminho a seguir, mas é necessário fomentar a comunicação entre os players, para alcançar mais colaboração” porque “mais resultados, traduzem-se em mais eficiência”, acrescenta.

As conclusões da 7.ª edição do estudo de níveis de serviço da GS1 Portugal dedicado ao setor da saúde não hospitalar, Benchmarking Saúde, e o vídeo do evento em que foram apresentadas estão disponíveis em https://www.youtube.com/watch?v=qvP0GRHxxbY.

No final do evento foram ainda atribuídos os prémios aos participantes no Benchmarking Saúde com melhor desempenho. Para quaisquer questões sobre as conclusões do Benchmarking Saúde, a equipa de estudos de níveis e serviço da GS1 Portugal está disponível em benchmarking@gs1pt.org.